RSSYoutubeTwitter Facebook
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


Notícias

15/04/2019 

Previdência: 44 pontos que você precisa saber

O economista Eduardo Moreira elaborou material com 44 pontos sobre a Previdência Social e sobre as principais medidas da reforma do governo Jair Bolsonaro, que tramita na Câmara dos Deputados como PEC 6/2019. A proposta, que vai tornar o sonho da aposentadoria impossível para a maioria dos brasileiros, já recebeu parecer positivo do relator na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, o deputado Marcelo Freitas (PSL/MG), aliado de Bolsonaro.

Entre as inverdades denunciadas pelo economista está o argumento do governo de que a Previdência está quebrada. Eduardo Moreira lembra que o “déficit” alegado é calculado em cima de uma contabilidade criada pelos próprios defensores da reforma.  Ele destaca que o resultado das contas do Sistema de Seguridade Social é conjuntural, ou seja, depende da economia, e não estrutural como alega o governo. “O resultado foi positivo até 2015, e teve três anos de resultado negativo exclusivamente pela enorme desaceleração da economia, que afetou as receitas de contribuição que incidem sobre a massa salarial (contribuição de empregados e empregadores) e das contribuições sociais que incidem sobre o faturamento e lucro das empresas (Cofins, PIS/PASEP, CSLL).”

Além disso, explica o economista, “a queda das receitas também ocorreu em função das capturas da DRU (Desvinculação das Receitas da União) – R$ 115 bilhões somente em 2017 – e das renúncias fiscais.”

Ou seja, não é preciso acabar com as aposentadorias dos trabalhadores para que as contas da Previdência fiquem em dia. Mas sim investir na aceleração da economia, na criação de empregos, e ainda acabar com a DRU, que drena recursos do sistema de seguridade social.

Moreira também argumenta que se nos 25 anos em que a Previdência foi superavitária os resultados tivessem sido guardados em um fundo, haveria mais de R$ 1 trilhão em 2015, recursos suficiente para financiar o atual ciclo recessivo da economia. Mas os superávits, destaca ele, foram gastos em outras áreas e para outras finalidades (por meio da DRU).

Morrer sem se aposentar

No ponto 5 do material, Moreira destaca que a proposta do governo Bolsonaro aumenta de 15 anos para 20 anos o tempo mínimo de contribuição para poder se aposentar, além de exigir idade mínima para aposentadoria (62 anos para mulheres, 65 para homens). Ele explica que esses cinco anos a mais de contribuição significarão, na verdade, mais 12 anos de trabalho para quase metade dos trabalhadores brasileiros.

Isso porque 42% dos trabalhadores no Brasil conseguem comprovar, em média, somente 4,9 meses de contribuições por ano. E ressalta que essa média é anterior à reforma trabalhista, que deve diminuir ainda mais os meses de contribuição por ano devido aos novos contratos precários de trabalho.

Fim da aposentadoria rural

Num dos pontos, Moreira defende a aposentadoria rural, ameaçada pela reforma de Bolsonaro: "A previdência dos trabalhadores rurais é um mecanismo para levar justiça social a uma parcela da população que, até 1988, trabalhou em condições injustas, sem direitos trabalhistas, sindicais e previdenciários e muitas vezes em regimes de semi-escravidão.  Foi esta aposentadoria que diminuiu a pobreza e o êxodo dos trabalhadores do campo para a cidade (...) A ‘Nova Previdência’ destrói essa rede de proteção social.”

Não vai reduzir privilégios

No ponto 8, Moreira denuncia que a “economia de R$ 1 trilhão” proposta pelo governo não corta privilégios, apenas reduz benefícios dos que ganham menos: “Segundo dados da própria PEC 6/2019, 84% da economia vem da redução de direitos dos beneficiários do regime geral da previdência (RGPS), do BPC (Benefício de Prestação Continuada) –  pago a pessoas em condição de miserabilidade – e do Abono Salarial.”

E mais de 70% desses beneficiários recebem apenas o piso de um salário mínimo. Nenhum recebe acima do teto: R$ 5.839. “E é em cima desse contingente de mais de 35 milhões de brasileiros que ganham em média pouco mais de um salário mínimo que é feita quase toda a economia.”

Além disso, o aumento de alíquota sobre os salários mais altos dos servidores públicos, anunciada pelo governo como medida de “ajuste fiscal”, representará apenas 2,5% da economia de R$ 1 trilhão.

Leia aqui todos os 44 pontos sobre a Previdência.

Fonte: SEEB/SP
Última atualização: 15/04/2019 às 09:25:09
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras
 

Comente esta notícia

Nome:
Nome é necessário.
E-mail:
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário:
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar.
Basta preencher o formulário acima.

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CEARÁ
  

Android cihazlariniz icin hileli apk indir adresi artik aktif bir sekilde hizmet vermektedir.
sex sohbet yapabileceginiz birbirinden guzel bayanlar telefonun ucunda sizleri bekliyor. Ustelik hd sex porno videolari da bulunmakta.
Kayitli olmayan kisiler bilinmeyennumara.me isim soy isim sekilde sms ile bilgilendir.
Profesyonel ekip davul zurna istanbul arayan kisilerin kesinlikle kiralama yapabilecegi en guzel site. Programsiz ve basit mp3 cevirme programi sizler icin sitemizde bulunmaktadir.

Rua 24 de Maio 1289 - Centro - Fortaleza - Ceará CEP 60020-001
(85) 3252 4266 / 3226 9194 - bancariosce@bancariosce.org.br

 

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
  www.igenio.com.br