RSSYoutubeTwitter Facebook
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


  09/10/2018
Edição Nº 1544 de 8 a 13 de outubro de 2018
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

ANTIDEPRESSIVOS SÃO OS REMÉDIOS MAIS USADOS POR EMPREGADOS

Pressão por metas, falta de estrutura, sobrecarga de trabalho. O modelo de gestão adotado pela Caixa vem se apresentando como um indutor de adoecimento, levando os trabalhadores a um elevado nível de complicações de saúde. Um em cada três empregados da Caixa teve alguma doença em decorrência do trabalho nos últimos 12 meses, a grande maioria (60,5%) relacionada a sofrimento mental. A depressão está presente em 10,6% dos relatos e os antidepressivos são os remédios mais usados entre os empregados da Caixa (28,3%).

A pesquisa Saúde do Trabalhador da Caixa, encomendada pela Fenae ao Instituto FSB Pesquisa, mostra que as doenças associadas a uma rotina física cansativa, comuns entre os bancários, perderam espaço para as dores emocionais, a chamada “dor da alma” – forma como também é conhecida a depressão. Porém, o índice de LER/DORT ainda é bastante expressivo, 14,1% dos casos. Por outro lado, 24,8% dos relatos incluem o estresse e 21,2% se referem a depressão e ansiedade.

Vale lembrar que, de acordo com o levantamento estatístico do INSS para fins de enquadramento do chamado Nexo Técnico Epidemiológico (NTEP), que relaciona a atividade econômica das empresas com cada tipo de adoecimento, as doenças dos códigos “F” (relacionadas ao sofrimento mental) e “M” (osteomusculares) previstas na Classificação Internacional de Doenças (CID-10), são características do trabalho bancário, portanto, não necessitam de comprovação para serem caracterizadas como doenças do trabalho.

De acordo com o levantamento elaborado pelo FSB Pesquisa, um em cada três empregados tiveram problemas de saúde relacionados ao trabalho nos últimos 12 meses. Entre estes, 53% tomaram remédio. Os medicamentos mais usados foram os antidepressivos e ansiolíticos, que somados correspondem a 35,3%, anti-inflamatórios (14,3%) e analgésicos (7,6%).

A pesquisa ouviu 2.000 empregados da Caixa entre os dias 2 e 30 de maio. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. Confira mais detalhes da pesquisa no endereço: goo.gl/W4aVau.

“Muitas pessoas sofrem caladas por longo tempo e, somente quando o organismo não suporta mais, buscam ajuda profissional, com o quadro já muito agravado. A negligência da direção da Caixa é, no mínimo, irresponsável. É mais do que urgente rever conceitos e adotar uma política para prevenir problemas de saúde dos trabalhadores”
Marcos Saraiva, diretor do Sindicato e da Fenae

Última atualização: 09/10/2018 às 09:59:34
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras
 

Versão em PDF

Edição Nº 1544 de 8 a 13 de outubro de 2018

Edições Anteriores

Clique aqui para visualizar todas as edições do Tribuna Bancária
 
SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CEARÁ
  
Android cihazlariniz icin hileli apk indir adresi artik aktif bir sekilde hizmet vermektedir.
sex sohbet yapabileceginiz birbirinden guzel bayanlar telefonun ucunda sizleri bekliyor. Ustelik hd sex porno videolari da bulunmakta.
Kayitli olmayan kisiler kimin numarasi ogren isim soy isim sekilde sms ile bilgilendir.
Profesyonel ekip davul zurna istanbul arayan kisilerin kesinlikle kiralama yapabilecegi en guzel site. Programsiz ve basit mp3 cevirme programi sizler icin sitemizde bulunmaktadir.
Rua 24 de Maio 1289 - Centro - Fortaleza - Ceará CEP 60020-001
(85) 3252 4266 / 3226 9194 - bancariosce@bancariosce.org.br

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
  www.igenio.com.br