RSSYoutubeTwitter Facebook
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


  01/10/2018
Edição Nº 1543 de 1º a 6 de outubro de 2018
CEF

PESQUISA INÉDITA REVELA ADOECIMENTO CRÔNICO DOS EMPREGADOS

Um em cada três empregados da Caixa Econômica Federal diz ter apresentado algum problema de saúde em decorrência do trabalho nos últimos 12 meses. Entre os que tiveram algum problema, 10,6% relataram depressão. Doenças causadas por estresse e doenças psicológicas representam 60,5% dos casos. Entre os que tiveram problemas, 53% precisaram recorrer a algum medicamento. Os remédios mais usados foram os antidepressivos e ansiolíticos (35,3%), anti-inflamatórios (14,3%) e analgésicos (7,6%).

Esses são alguns dos dados evidenciados na Pesquisa Saúde do Trabalhador da Caixa, encomendada pela Fenae. O estudo é inédito e revela o quanto o modelo de gestão do banco, a sobrecarga de trabalho e a ausência de uma política de saúde do trabalhador estão prejudicando a vida de milhares de pessoas e provocando um verdadeiro quadro de adoecimento crônico na categoria.

O estudo foi apresentado ao Ministério Público do Trabalho, que no momento analisa os dados e avalia providências as serem tomadas. A Fenae também já forneceu o material à Comissão de Executiva de Empregados da Caixa (CEE/Caixa) para que o assunto seja pautado na mesa de negociação permanente.

O cenário preocupante se torna ainda mais grave no momento em que o governo federal deseja reduzir o direito dos trabalhadores à assistência médica por meio das resoluções CGPAR. Com as mudanças propostas, o Saúde Caixa, assim como as demais autogestões de saúde, se tornará inviável.

A pesquisa, realizada pelo Instituto FSB Pesquisa, ouviu 2.000 empregados da Caixa entre os dias 2 e 30 de maio. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

Sobrecarga, estresse laboral e vida pessoal

  • 58% Se dizem sobrecarregados em seu trabalho
  • 16,3% Insatisfeitos com a falta de pessoal 
  • 16% Insatisfeitos com cobrança excessiva por metas
  • 15% Fazem horas extras com frequência, principalmente os mais jovens e os que trabalham em agências
  • 26,3% Empregados apresentam um nível de estresse entre 7 e 10
  • 27,1% O grau de interferência negativa do trabalho na vida pessoal é classificado entre 7 e 10
  • 36,4% Tiveram problemas de saúde relacionados ao trabalho nos últimos 12 meses nas agências.
  • 3,5%  É a ocorrência de emissão de CAT, com subnotificação maior nas agências
  • 41,2% Dos que trabalham em áreas meio se dizem sobrecarregados
  • 66,2% Dos que atuam em agências se disseram sobrecarregados

Mais da metade já sofreu assédio moral

  • 86,5% Avaliam positivamente a relação com seus chefes imediatos
  • 27,2% Reclamam de pressão excessiva por metas.
  • 53,6% Disseram ter passado assédio moral na relação com a chefia direta, tais como demanda excessiva por trabalho, pressão, atribuição indevida de erros, ameaças, gritos etc
  • 81,3% Situações como essa também ocorrem com outros colegas de trabalho.
  • 51,7% Conhecem colegas que passaram por sofrimento contínuo em virtude do trabalho.

Política de gestão piora o ambiente de trabalho

  • 4 em cada 10 funcionários se dizem pouco ou nada informados sobre a política de controle de produção por meritocracia Gestão de Desempenho de Pessoas (GDP)
  • 42,6% Acham o plano de metas desafiador e estimulante
  • 42,5% O plano de metas é visto abusivo e prejudicial 
  • 37,3% Disseram que o ambiente de trabalho piorou ou piorou muito com GDP
  • 15,9% Disseram que ficou melhor ou muito melhor com GDP
Última atualização: 01/10/2018 às 09:48:16
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras
 

Versão em PDF

Edição Nº 1543 de 1º a 6 de outubro de 2018

Edições Anteriores

Clique aqui para visualizar todas as edições do Tribuna Bancária
 
SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CEARÁ
   Rua 24 de Maio 1289 - Centro - Fortaleza - Ceará CEP 60020-001
(85) 3252 4266 / 3226 9194 - bancariosce@bancariosce.org.br
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
  www.igenio.com.br