RSSYoutubeTwitter Facebook
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


  30/07/2018
Edição Nº 1535 de 30 de julho a 4 de agosto de 2018
PLANO DE SAÚDE

Proposta da Contraf-CUT propõe sustentabilidade da CASSI

Após a recusa de discutir o déficit da Cassi na mesa de negociação da Campanha Nacional com o Banco do Brasil, o movimento sindical peitou a direção do banco e apresentou proposta de sustentabilidade do plano de saúde na negociação dia 23/7. O texto, elaborado pela Contraf-CUT e a Comissão de Empresa do BB, traz alternativas ao modelo de custeio que a direção do banco vem tentando impor.

O BB se retirou da mesa de negociação específica após a posse da nova diretoria eleita na Cassi, em junho, e informou que as discussões passariam a se dar só no âmbito interno da entidade. A proposta do movimento sindical visa garantir e manter direitos. O documento preserva o princípio da solidariedade, segundo o qual os associados contribuem de forma proporcional ao salário, independentemente da idade ou condição de saúde; defende a manutenção da Cassi sob o comando dos representantes dos associados, sendo gerida de forma paritária; dentre outros pontos.

Quanto à questão financeira, o documento propõe uma receita operacional nova de R$ 862,5 milhões/ano – o que representa R$ 4,3 bilhões entre 2019-23 – para reequilibrar liquidez e margem de solvência, fazer os investimentos necessários e ampliar o modelo assistencial. Esta verba viria de um aditivo ao Memorando de Entendimentos, definindo 1,5% para o corpo social, que corresponderia R$ 345 milhões para os associados ao ano, ou seja, R$ 1,725 bilhão de 2019 a 2023; e 1,5 vezes este valor a ser pago pelo banco, representando R$ 517 milhões ao ano, o que dá R$ 2,587 bilhões no mesmo período.

Este remodelo do aporte possibilitaria inclusive o crescimento em 10% ao ano na rede de cobertura da Estratégia Saúde da Família (ESF), alcançando 300 mil associados em 2023. Além disso, a condição para se reavaliar os sistemas de custeio, gestão e saúde da Cassi como o próprio modelo assistencial com uma cobertura mais robusta em funcionamento, permitirão decisões mais acertadas e com temporalidades mais adequadas a partir de 2024.
Confira a proposta no link: https://goo.gl/gGNEcj

Última atualização: 30/07/2018 às 09:27:54
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras
 

Versão em PDF

Edição Nº 1535 de 30 de julho a 4 de agosto de 2018

Edições Anteriores

Clique aqui para visualizar todas as edições do Tribuna Bancária
 
SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CEARÁ
   Rua 24 de Maio 1289 - Centro - Fortaleza - Ceará CEP 60020-001
(85) 3252 4266 / 3226 9194 - bancariosce@bancariosce.org.br
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
  www.igenio.com.br