RSSYoutubeTwitter Facebook
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


  24/07/2018
Edição Nº 1534 de 23 a 28 de julho de 2018
10 DE AGOSTO

Dia do Basta aos ataques do governo golpista aos brasileiros

BASTA! NÃO VAMOS ACEITAR O DESMONTE DA SAÚDE!

O dia 10 de agosto foi escolhido pelas centrais sindicais como o Dia do Basta, para mostrar a indignação do povo brasileiro com a política nefasta do golpista Temer. Não é mais possível conviver com os estragos que esse governo golpista e ilegítimo impôs à classe trabalhadora. O Brasil pós-golpe já contabiliza 28 milhões de desempregados e os postos de trabalho gerados são precários graças à reforma trabalhista. Direitos constantes da CLT foram rasgados. A privatização de empresas e bancos públicos significa também precarização das condições de trabalho e mais desemprego. O Dia do Basta vai mandar um recado a quem pleiteia qualquer cargo nas eleições deste ano. O povo brasileiro não está satisfeito e não aceita políticas que não sejam voltadas ao amparo dos trabalhadores. Em Fortaleza, o ato acontece na Praça da Bandeira, a partir das 9h.

Basta de desemprego;
Basta de retirada de direitos;
Basta de privatizações;
Basta de aumentos abusivos no gás e nos combustíveis;
Basta ao descaso e sucateamento da saúde pública;
Basta de sofrimento para o povo brasileiro;
Basta de famílias dormindo nas ruas.


Exames fraudados no SUS aumentam câncer terminal em mulheres
O Papanicolau é um exame ginecológico que deve ser realizado periodicamente para diagnóstico precoce de câncer de colo de útero, já em sua fase inicial. É o 3º tipo de câncer mais frequente entre as brasileiras, seguido pelo câncer de mama e colorretal. Desde a última semana, diversos jornais vêm divulgando a suspeita de fraude nesses exames em Pelotas (RS), realizados pelo SUS. A suspeita é de que, há cerca de seis anos, os testes vêm sendo realizados por amostragem, isto é, a cada 500 amostras, apenas 5 são analisadas, e ao restante é atribuído laudos-padrão atestando normalidade. De janeiro de 2014 a junho de 2017, todos os exames realizados identificaram resultados normais. Coincidentemente, também há seis anos atrás, assumia a Prefeitura de Pelotas o atual pré-candidato a governador do Rio Grande do Sul pelo PSDB e líder do partido no estado, Eduardo Leite.

Fortaleza: Hospital do Coração suspende atendimento por falta de material
Problemas como a falta de material e condições inapropriadas para executar procedimentos cirúrgicos fazem parte da lista periódica de problemas na rotina dos pacientes e profissionais do Hospital do Coração, em Fortaleza. Um médico que já trabalhou no Hospital e que não quis se identificar conta que, em uma ocasião não havia sequer luvas para reanimar um paciente. Ele conta que também já aconteceu de faltar medicamentos de primeira escolha em caso de infarto. Em paralelo a isso, mães de crianças necessitadas de procedimentos cirúrgicos contam que as operações, constantemente, são desmarcadas e adiadas. A falta de materiais e equipamentos é apontada como principal fator que impossibilita a realização das cirurgias.

Mortalidade infantil cresce depois de 15 anos de redução
Um enorme esforço do governo federal e da sociedade civil durante 15 anos para diminuir as taxas de mortalidade de bebês e crianças começa agora a ser desfeito, às custas do argumento do ajuste fiscal promovido pelo governo ilegítimo de Temer. Agora, a taxa de mortalidade na infância (proporção de óbitos de menores de 5 anos para cada mil nascidos vivos) subiu 11% em 2016, em comparação com o ano anterior. Os dados foram tabulados pela Fundação Abrinq. A mortalidade na infância caiu de 30,1/para cada mil nascidos vivos, no ano 2000, para 14,3, em 2015. O enfrentamento foi significativo, e o Brasil se tornou referência. O aumento agora constatado está relacionado aos cortes nos programas sociais feitos pelo governo Temer. Entre os programas que sofreram cortes, destaca-se o Rede Cegonha, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), o Mais Médicos, o Bolsa Família, e a situação de quase extinção do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Enquanto cortava nos programas sociais, o governo Temer privilegiou parcelamento e descontos de até 90% para empresários e fazendeiros devedores da União.

Temer traz doenças erradicadas de volta
Mesmo erradicadas há anos no Brasil, doenças contagiosas, como sarampo e poliomelite, voltaram a ser motivo de preocupação. O desmonte do SUS promovido pelo governo golpista e ilegítimo de Temer é a única explicação para o retorno dessas doenças. A PEC do Teto dos Gastos, que congelou os investimentos públicos por 20 anos, é uma das iniciativas mais nocivas contra a atenção básica de saúde. Além desses impactos, o ilegítimo Temer praticamente decretou o fim do Programa de Estratégia Saúde da Família (ESF). Serão descredenciados do programa mais de 4.000 equipes, o que deixará cerca de 15 milhões de pessoas sem o acesso ao serviço básico de saúde.

POLIOMIELITE: Erradicada desde 1994, em junho foram registrados casos em 312 cidades brasileiras.

SARAMPO: Erradicada desde 2000, entre janeiro e maio deste ano foram registrados 995 casos no País, incluindo duas mortes.

Última atualização: 24/07/2018 às 11:07:08
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras
 

Versão em PDF

Edição Nº 1534 de 23 a 28 de julho de 2018

Edições Anteriores

Clique aqui para visualizar todas as edições do Tribuna Bancária
 
SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CEARÁ
   Rua 24 de Maio 1289 - Centro - Fortaleza - Ceará CEP 60020-001
(85) 3252 4266 / 3226 9194 - bancariosce@bancariosce.org.br
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
  www.igenio.com.br